Principal / Em foco / Adeptos de paramotor buscam regulamentar área para decolagem

Adeptos de paramotor buscam regulamentar área para decolagem

Foto: Eliseu Castro
Foto: Eliseu Castro

Nos últimos tempos, frequentadores da Praia da Reserva se acostumaram a ver paramotores, uma espécie de parapente motorizado, no céu. O esporte busca agora seu espaço em terra firme. Desde o início do ano, sua federação estadual tenta a regulamentação da prática na Praia da Reserva, para garantir o uso seguro do trecho de praia onde a modalidade já é praticada.

Há cerca de dois anos, os adeptos do paramotor ficam próximos ao Posto 9, num gramado ao lado de um quiosque desativado. A área, defendem, não tem prédios ao redor, é pouco movimentada e conta com espaço suficiente para a decolagem, feita a partir do chão, diferentemente do que acontece com o parapente.

No início do ano, representantes do esporte estiveram na Subprefeitura da Barra e Jacarepaguá. Duas áreas lhes foram oferecidas: uma ao lado do trecho do kitesurfe, porém muito perto de prédios, o que poderia ser um incômodo para moradores; e outra às margens da Lagoa de Marapendi, onde não há vento suficiente, por causa das árvores no entorno.

Agora, a Federação de Paramotor do Estado do Rio contratou uma arquiteta para elaborar um projeto para a área já utilizada, a ser apresentado à subprefeitura e à Secretaria de Ordem Pública.

— É preciso gramar a área e revitalizar um outro trecho de igual tamanho, como contrapartida. Estamos orçando para ver quanto teríamos de pagar — diz Antônio Lage, presidente da federação, que estima ter o projeto pronto em duas semanas. — Nesse meio tempo vamos recolher assinaturas dos praticantes. Hoje são cerca de 70 no estado e 20 no município. A subprefeitura se mostrou receptiva, até porque esta é uma área abandonada hoje.

Os praticantes dizem que só uma vez houve reclamações de banhistas, quando um atleta de fora do Rio fez manobras perto da areia. O objetivo é que, com a regulamentação, placas sejam instaladas no entorno, como alerta.

— Queremos fazer do jeito que é em São Conrado com o voo livre. Isso aumenta a segurança de todos — afirma Eliseu Castro, presidente do Clube Carioca de Paramotor.

Por: Lucas Altino | O Globo

 

.

Veja mais

Ventania no Nectar

Sábado, 01 de Dezembro às 22 Horas.